Notícias

Xixi na cama: até quando é normal?

É muito desconfortável acordar de manhã e perceber-se todo molhado do xixi que “escapou” durante a noite. Não dá um segundo e tudo fica ainda pior quando adentram no quarto o pai ou a mãe com aquela cara de cansaço e desalento como quem está pensando: “de novo!!!!!”. E toca trocar toda a roupa de cama, colocar o colchão para secar, pijama para lavar e arejar o ar do quarto. Não é fácil para ninguém.

Crianças que fazem xixi na cama sofrem muito com isso. Não o fazem porque conscientemente QUEREM fazer. Não o fazem por um ato de rebeldia aos pais. Não o fazem por qualquer outra razão específica. Nada disso. Não há controle. Simplesmente…fazem xixi na cama, involuntariamente.

O controle dos esfíncteres começa a se concretizar depois dos 2 anos de idade. A partir deste momento os pequenos já conseguem ter a sensação de intestino ou bexiga “cheios” e avisam que querem fazer xixi ou cocô. Só que este processo é naturalmente muito longo, e por isso requer também muita paciência por parte de todos os cuidadores envolvidos, principalmente dos cuidadores principais: o pai e a mãe.

Muita calma nesta hora! Apressar este processo não contribui em NADA para que as crianças fiquem sem as fraldas mais cedo. Apressar este processo pode gerar ansiedade e frustração, o que faz prolongar todo o curso do controle dos esfíncteres.

Para que se tenha uma ideia, o controle do xixi e cocô diurno acontece geralmente entre os 2 e 3 anos de idade. O controle noturno demora um pouco mais: entre 3 e 4 anos, podendo demorar até os 5 anos.

E se passar dos 4 ou 5 anos? Muitas crianças maiores de 4 anos seguem fazendo xixi na cama. A partir deste momento, uma conversa com o pediatra é essencial, para excluir quaisquer problemas físicos que possam interferir no controle dos esfíncteres. Na maior parte dos casos, porém, constata-se que não há problemas de natureza patológica.

Quais as razões que levam crianças com mais de 4 ou 5 anos a fazer xixi na cama?

Várias são as causas que podem justificar. Uma das mais comuns são os fatores genéticos. Geralmente há alguém por perto, na família, que fez xixi na cama até mais tarde. Outras três causas, possivelmente ligadas a esta primeira, são: imaturidade fisiológica do mecanismo esfincteriano responsável pelo ato de micção; menor produção do hormônio antidiurético durante a noite e bexiga com menor capacidade funcional. Além disso, algumas crianças tem o sono fundo o suficiente para não despertarem quando estão com a bexiga cheia.

O mecanismo responsável pela micção, como vemos, é bastante complexo e pode demorar para estar “maduro” em algumas crianças. Por isso, de NADA adianta ficar pressionando. Isso pode gerar mais estresse, ansiedade e frustração que, certamente, contribuirão para diminuir a auto estima da criança. Isso é muito pouco produtivo, especialmente em uma época da vida onde o ambiente emocional e o desenvolvimento de muitas habilidades cognitivas são essenciais para o futuro adulto.

Até os 7 anos de idade a maior parte das crianças já tem o controle completo. Importante saber que  há possibilidades terapêuticas que podem auxiliar esse processo, em todas as áreas, a partir de 4 a 5 anos de idade, objetivando o mínimo de estresse para a criança e família.

Muitas vezes, quando se tem pressa, ir devagar é mais seguro e eficiente.

Fonte: Bem estar

NOSSOS INFORMATIVOS

Cadastre-se e receba nossos informativos por e-mail.


Especialidades

equipe médica